Antonio Marques dos Santos Neto, foi apelidado de Marcelino pela vizinha por se parecer com o menino do desenho, foi para Fortaleza como Lino, diminutivo carinhoso de Marcelino, dado pela irmã. Após a família mudar-se para o Rio, Lino mudou-se para Vila Ventura em Fortaleza, estudante de Engenharia Civil, sem muito saber o que queria fazer da vida, namorava na época Inês - sua sócia e ex-esposa - precisando dar algum presente de aniversário para sua namorada, foi incentivado por sua irmã a fazer um colete.  Feito, as pessoas amaram e assim nasceu um dos estilistas mais influentes na moda brasileira. Como o próprio disse, quando queria uma calça, ia lá a olhava, cortava o tecido e fazia, do colete foi pra saia, pro vestido, vestido de noiva e tornou-se o que é hoje. 


O bate-papo intermediado por Marina Caruso editora chefe da Marie Claire - Brasil,  foi longo e gostoso, além de divertido, falou de moda de maneira séria, digital influencers, o tiroteio de informação ao qual vivemos, identidade de marca e muitos outros assuntos pertinentes.


Lino é da velha guarda dos estilistas brasileiros e sobreviveu a duas crises, mas nenhuma das anteriores como esta, sem perspectiva de acabar e tão dura. Experiência, sobrevivência e muita criatividade fizeram com que Lino soubesse reaproveitar e utilizar do upcycling há um bom tempo, curiosidade é que todos os tecidos que Lino trabalha são planos e disso as texturas, bordados e estampas são criadas, como ele mesmo disse: "Estoque parado é dinheiro perdido."



Depois de 20 edições do SPFW, a qual participou de todas, tendo começado lá atrás no Morumbi Fashion, Lino queria fazer algo diferente, mas impactante, então resolveu dar continuidade ao seu trabalho da ultima edição do SPFW. Após conversar com Paulo Borges que tinha o sonho de ter modelos fotografados por Miro, foi então que Paulo ligou para o fotógrafo, que topou o desafio.


Lino teve um desfile extenso, de 30 minutos e Miro uma sessão de fotos curtíssima, de 30 minutos, dois opostos fizeram um lindo trabalho.


Para Miro, a roupa de Lino já é uma fotografia em si, sem ensaio prévio os desfiles de Lino Villaventura exploram os sentimentos humanos, provocativo, o estilista gosta de ver a essência de cada um. Miro por vez gosta de ouvir o que cada um tem a acrescentar, dessa forma foram feitas as imagens de LINO+MIRO.


Após Lino falar que gosta de provocar as modelos, Marina Caruso pergunta algo que ele costuma falar, só não abre o jogo mas nos contou que há uma modelo especial, que várias vezes já saiu do desfile e jogou os sapatos na parede do basckstage. Outra vez ele criou um ambiente de festa e algumas modelos beberam antes do desfile, o resultando foi tão incrível que duas delas se beijaram logo após saírem da passarela.



Rolaram retóricas como a transição de diretores criativos das grandes maisons do último ano, que não foram poucas e a identidade da marca se perdendo aos poucos, Raf Simons sai da Dior, que fica na mão de Maria Grazia e o mesmo vai para Calvin Klein, no lugar de Francisco Costa. Alexander Wang deixa a Balenciaga, Alber Elbaz a Lanvin, não por menos Alexandre Herchcovitch deixa sua marca homônima e assume a grife À La Garçonne ao lado do marido Fábio Souza.


Outra pauta foi a informação de moda, há muita informação e pouco conteúdo. Lino procura não olhar os desfiles internacionais antes de começar sua coleção própria, pois o mesmo precisa ter inspirações próprias, para isso faz viagens, lê muito - leitor desde a infância, onde dizia ser introspectivo, encontrava diversão na leitura.


Coube a Marina perguntar a Miro sobre seus 16 anos a frente das campanhas da Forum, sua responsabilidade em ter lançado o padrão de beleza de grandes nomes como Gisele Büdchen, Shirley Mallmann e outras tops models e como isso mudou de lá pra cá. Miro foi crítico ao falar que as coisas eram diferentes, um tanto porqueTufi Duek tinha algo em comum com Lino e diferente dos tempos atuais: determinação. Tuki Duek sabia exatamente o que queria, cabia a Miro entregar a excelência.  Outro fator era o de querer fazer sempre o melhor, não estava bom, para a próxima campanha poderia melhorar. Miro insistiu em falar que nos tempos atuais tudo está bom e falta determinação, na época da Forum o objetivo central era uma imagem impactante. 


Finalizo meu post com um agradecimento especial a Lino Villaventura, pessoa de energia única e incrível por ter nos dado a oportunidade de participar desse talk maravilhoso. Agradecer a nossa diretora por seu trabalho realizado nos anos 90 e os vínculos lá formados que ainda proporcionam grandes experiências. O muito obrigado da equipe #PMSQUAD. Desejamos todo o sucesso cabível a Lino, Miro, Marina, foi uma conversa divertidíssima e o principal, com MUITO conteúdo.


A quem não viu a exposição ainda, um conselho apenas, faça o possível para ir ver. Conhecimento genuíno e ao alcance do seu olhar. 


Shopping Iguatemi até o dia 28 de outubro, vale a pena conferir a moda e a arte na sua essência mais pura.


Fotos por: Luan Ventilari (@luanventilari)