“Bolsa de mulher

é terreno que ninguém conhece.

É espaço ímpar.

Cabe o que não deve

e nunca tem o que se precisa.”

Luciete Valente


“Vida sem chocolate é como a praia sem água.” Anônimo


Neste editorial unimos as similaridades femininas da bolsa e do chocolate.


Buscamos a interação entre a cor, textura e formas que fazem as mulheres perderem o fôlego e se jogar nas delicias infindáveis dos segredos contidos em sua bolsa e nas sensações inimagináveis provocadas por ter e saborear o seu chocolate.


Uma coisa é certa: toda mulher prefere escolher pessoalmente a sua própria bolsa, já que esta será seu acessório pessoal e intransferível, acompanhando-a por onde for. Por esta razão, a bolsa é um meio valioso para se conhecer uma mulher, pois revela características pessoais de sua "dona". Pode-se dizer sem medo que a bolsa reflete anseios e desejos da mulher, sua imagem pessoal, expectativas de vida e visão de mundo.


Para as mulheres o chocolate é o amigo indispensável e silencioso que traz prazer, calma, felicidades e alegrias sem tamanho. Só em ter ou em cada porção degustada em pedaços, raspas ou na loucura de devorar como um todo, o chocolate traz consigo o prazer de alguma situação peculiar.


Os segredos das bolsas e dos chocolates foram revelados através das bolsas Rafitthy, e sua cartela de cores terrosas. Os Chocolates Prawer nos concedeu suas linhas gourmet com todos os benefícios contidos para a saúde neste alimento secular.


Agradecimentos Especiais:

Tamires Tondin e Monique Roos Rafitthy

Paula Kohl Chocolates Prawer