Hoje é dia 20 de agosto mas dia 18 de Agosto de 2016 não foi um dia fácil para fazer parte de um evento, um dia depois de voltar a capital paulista e com uma sinusite infernal lá fui eu, representando a Penso Moda no bate papo entre Susana Barbosa, editora chefe da Elle Brasil e as cabeças do site de moda Steal The Look.


Suzana Barbosa,Catherin Dietrich e Manuela Bordarsch


O bate papo foi mediado apenas pelas cabeças femininas do Steal The Look, Catherin Dietrich e Manuela Bordarsch sem o Arthur Chini.


No bate papo, as moças conversaram com Susana Barbosa que veio para explicar sobre a coleção em parceira com a C&A, um tanto quanto diferente, ver uma coleção cápsula com uma revista ao invés de um designer ou marca.


Susana explicou que a revista já tem licenciamentos fora do Brasil, porém que o contrato da Elle com a Abril era exclusivamente para vinculação de uma revista, no final do ano passado, isso mudou.


Nos foi explicado um pouco sobre cada look e o porque da escolha do design de cada um.


Todos que trabalhamos com moda, sabemos que é de extrema importância ter um mero conhecimento de história, afinal a moda é um reflexo do comportamento humano, manifestado em roupas.



1940 & 1950


1940 – A Elle foi lançada em 1945, no pós guerra com o intuito de motivar as mulheres da época. Uma mulher que passou por dificuldades durante a guerra, que começou a trabalhar, que não podia mostrar muito do corpo, um período de contenção de gastos.


1950 – Such a New Look!!! Precisa falar em quem foi inspirado mesmo? Provavelmente o look mais famoso de todos os tempos, Christian Dior vem em 1947 e lança o que viria a ser a tendência de uma década, porém um look que marca o retrocesso em aspectos feministas, voltamos para a cintura marcada, o corpo mais tapado e a saia rodada.



1960 & 1970


1960 – A geração babyboomer explode! A geração que não quer ser como os pais. Pra que cinturas marcadas e comprimentos longos? Chanel responde ao new look, Pacco Rabanne e Courrèges entram no cenário da alta moda.


1970 – Saint Laurent e suas inspirações na África, nas mangas bufantes e largas do Marrocos, marcam uma década.



1980 & 1990


1980 – Ombreiras, polainas, meia arrastão, cabelo pigmaleão e Like a Virgin. Adaptado para a atualidade o vestido transmite um ar de balada com traços dos anos 80, porém sem as características que não seriam vendáveis atualmente.


1990 – Escola belga de moda. Ann Demeulemeester, Maison Margiela, super models, Naomi Campbell, Linda Evangelista e o minimalismo entrando com força na moda mundial, onde os recortes geométricos começaram a aparecer.



2000


2000 – Como dito pela própria diretora da revista, o vestido é uma mistura de todos os anos anteriores com características específicas de agora, como o leve mullet na saia de babados, a cintura marcada e o peito liso.


Obviamente a febre nacional não poderia ter ficado de fora: TÊNIS BRANCO!


Mais uma vez, o que?


TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO! TÊNIS BRANCO!


Foi perguntado, caso o tênis não tivesse virado tendência, se a mulher continuaria a abrir mão do conforto sem descer do salto.


Com muita prudência foi respondido: “depois de muito se usar lá fora e todo mundo começar a usar aqui, parece que já pode usar”.


Exatamente, “pode usar”. Porque vivemos em um país onde precisa estar atestado no exterior que “é bom”, vir para cá, alguns servirem de “cobaia” e quando todo mundo usar, então pode ser usado.


Sportwear


Quando perguntado a Susana qual seria o modelo de agora, dos anos 10, sua sinceridade foi incrível ao falar que ela não é estilista, mas como gosto pessoal e o rumo que a moda está tomando, provavelmente o SportWear dominaria.


Onde nós, da moda, poderíamos pensar em uma Balenciaga toda Sport transformada por Alexander Wang  e ainda, só  para lembrar a técnica moulage dos fios  dos tênis flyknit na coleção própria do estilista desfilada em 06 de setembro de 2014.


Sustentabilidade


“Em uma próxima coleção a revista preza pela sustentabilidade?”


Susana respondeu que não sabe se haverão outros licenciamentos, diferente da revista no exterior que possui parcerias com marcas de maquiagem e inclusive um café, no Brasil é diferente e a parceria com a C&A é a primeira. Obviamente o sustentável possui um preço e certas empresas pregam a sustentabilidade sem fazer ela inteiramente, será que as pessoas estão dispostas a pagar pelo ISO 14001?


Moda e sua frivolidade


Desde a iniciativa da revista “Você na capa”, onde a capa da Elle veio espelhada e cada compradora poderia estampá-la, a revista tomou um rumo sem volta, assumiu uma postura feminista com a capa manifesto, fez uma capa plus size, procura streetwear de pessoas negras, gordas, magras e vem se moldando para os novos rumos do mundo e da moda.


Embora não possa fazer isso o tempo todo, por uma pressão externa e esse padrão de beleza inalcançável com o qual a moda mundial trabalha.


A proposta da revista é que a mulher se vista para ela, com o estilo dela e como ela se sinta melhor, tentando também, combater essa imagem de que a moda é completamente fútil, apesar de ser uma revista para um público A e B.


Modelos, instagram, likes e followers


Vivemos em um mundo onde os followers ditam quais modelos serão escolhidos. Mas também vivemos em uma era onde os modelos não são mais tratados como manequins, onde a marca é responsável por preenche-los, mas sim onde muitos dão cara para a marca. Vejamos Cara Delevigne e Burberry, a capa desse mês conta com Stella Maxwell que luta em suas redes e usa sua popularidade na causa Gay. As redes sociais trouxeram voz aos modelos e o legado Bundcheman está presente em mostrar que alguns levam a profissão extremamente a sério.


A coleção C&A Elle esta disponível ao valor de R$ 199,00. Foi uma conversa com bastante conteúdo e nós da Penso Moda ficamos extremamente felizes com o convite da MKT Mix, deixo aqui nosso muito obrigado e muito sucesso para a Elle, Susana, Steal the Look e C&A.