Eu estou na lida do varejo a algumas décadas mas tenho a convicção absoluta que nada será como antes de 2016 para o Brasil, definitivamente foi um ano de muitas provas e expiações, colocando os trilhos dos negócios em superações e patamares maiores do que o resultado físico. Passamos pela jornada pessoal de cada um e com cada sentido único do ser humano que viveu os últimos 12 meses. Vivemos na pele e no pensamento a sigla FoMo – Fear of Missing Out, é o sentimento batizado pelos americanos da nossa constante ansiedade e sentimento de não termos visto o suficiente no consumismo da informação, hoje por todos os lados e jeitos de textos, fotos, vídeos e o emaranhado de links e redes sociais viciantes.



O exagero nos transformou em seres humanos vestidos de informação dos pés à cabeça mas continuamos num oceano onde não sabemos ao certo o que é verdadeiramente bom e supra valorizando caminhos que enganam e embuste trilhas de pesquisas tortas.


Pensar, selecionar, organizar, apresentar e praticar as ideias de maneira sistêmica e organizada de acordo com o ser humano volátil do varejo faz a diferença das empresas que querem construir o sucesso gerando lucro, através de seus participantes e sendo únicas com seus consumidores.


2017 é com certeza o ano para praticar de fato o parágrafo acima e lhes digo mais, muitos empreendedores já fazem dessa metodologia o seu mantra e por isso 2016 foi bom sim, contrariando números e pesquisas econômicas, financeiras e de mercado.


Depois de ver inúmeros programas e reportagens on line e impressos o que mais amei foi ver as boas novas, quem se deu bem, quem fez do limão a limonada, quem achou a saída pela direta ou esquerda como o leão da montanha faz.


Adoro listas, portanto vamos a uma das minhas favoritas, saber o que está por aí e vem por ai de novo!


A grande transformação nos negócios com base na ascensão tecnológica.


1. Inteligência Artificial: Tecnologias baseadas em softwares capazes de executar tarefas que normalmente precisam de inteligência humana: percepção visual, reconhecimento de voz, tomada de decisões e tradução de idiomas. Quem usa: Bradesco fechou com a IBM a utilização do sistema Watson que é sucesso desde 2011 e agora irá atuar no gigante bancário inicialmente no call center.


2. Robôs: máquinas eletromecânicas ou “agentes virtuais”. Automatizam, aumentam ou apoiam as atividades humanas. Quem usa: Jeep em Pernambuco conta com 700 robôs: 650 na funilaria, 40 na pintura e 10 na montagem. 18 robôs são capazes de aplicar 100 pontos de solda em 60 segundos.


3. Realidade aumentada: Adição da informação ou recursos visuais para o mundo físico. O objetivo é melhorar a experiência do usuário com serviço ou produto. Permite a mistura do mundo virtual ao real com mais interação. Agência Flex Interativa postou no perfil do Ilusionista Issao Imamura um anuncio que era preciso fazer um download e apontar o celular para a mensagem.


4. Internet das coisas: Sistema do qual eletrodomésticos e veículos acessam uma conexão de rede através de softwares e sensores que permitem o monitoramento remoto dos equipamentos. Quem usa: Vale do Rio Doce mineradora tem um sistema de gerenciamento dos veículos em uma de suas minas. Caminhões e outros veículos de grande porte são monitorados por GPS e ganham tablets que conectados à rede Wi-Fi fornecem diversas informações e aceleram o processo de decisões.


Que lista para se pensar, pensar e ter grandes ideias!


Mas as maquinas ainda não conseguem reconhecer alguns padrões e formas de aprendizagem Humana, para tanto a Universidade de Harvard tem um estudo apoiado com R$ 28 milhões para entender nosso processo cerebral.


“Nos próximos anos, tudo que puder ser conectado à internet será conectado. Não adianta lutar contra isso”. Chris O´Neill, ex-diretor do Google (X) atual presidente da Evernote, plataforma inteligente de organização pessoal que reúne mais de 200 milhões de usuários.    


Agora vamos a  lista da aplicabilidade do varejo de ponta direta ao consumidor. Devido ao poder econômico de uma moeda fraca o brasileiro voltou-se para o casulo, sua casa é seu lar, bar, lugar de encontros diversos.



1. Casa do Futuro: Novas tecnologias e produtos que despertam interesse por usarem a Inteligência artificial Google Home: espécie de alto-falante inteligente que começou a ser vendido em novembro nos Estados Unidos que consiste em um sistema que responde a comandos de voz para tirar dúvidas fazendo pesquisas na internet, lembrar compromissos, fala a previsão do tempo e toca músicas. Só para completar: Televisores OLED, Geladeira Conectada, Computador Surface Studio Microsoft e as SmartTV, sonho de consumo possível por aqui.


2. Eletrônicos para vestir: Ganhando formatos cada vez mais avançados os tênis são destaque. Ícone desta fase a Nike lançou o Hyper Adapt 1.0, este tênis tem mecanismos eletrônicos e sensores inteligentes que amarram cadarços sozinhos, adaptam a pressão do tênis ao tamanho dos pés. O fone de ouvido Vi da LifeBeam funciona como um treinador pessoal, o sistema conversa com o praticante de corridas em tempo real e indica ao usuário seu batimento cardíaco. E por último o relógio da Apple vem com três diferenciais que superam o fato de ter GPS. Você pode nadar, ouvir músicas sem fio como Jaybird 3 e monitora seu batimento cardíaco sem ter que usar a famosa faixa.


3. Ser único: o baixo crescimento da economia mundial e a crise no Brasil fez com que os consumidores de alto padrão do mercado do luxo mudam-se o seu comportamento. Hoje o olhar para produtos é buscar produtos customizados, personalizados, inovadores e com alta qualidade, mas ao mesmo tempo tem que ser clean, cult e elegante. Marcas que seguem essas exigências e veem seus números crescerem de modo real: Cartier, Gucci, Christian Louboutin, Christian Dior e a eterna Louis Vuitton.


4. Babys conectadas: Os brinquedos conectados à internet são a grande inovação neste mercado. Ciente da preocupação crescente dos pais com o tempo que os filhos passam em frente às telas de smartphones, tablets e TVs a Little Bits lançou o Gizmos & Gadgets, um kit de eletrônica onde as próprias crianças escolhem o que montar. Esta indústria de brinquedos conectados será a que mais vai crescer nos próximos cinco anos.



A quem é do varejo do vestir, do morar, do brincar tem muitas possibilidades e essas ideias nos levam a outras que podemos particularizar em nossos próprios negócios. Hoje começa a Couromoda feira que lança a segunda edição do Inverno 2017. Fazer a feira com um novo olhar e perspectiva sempre faz bem mesmo porque não existe certezas na vida e no mundo dos negócios quem faz diferente sempre tem chances de ficar na área de conforto/desconforto por mais tempo.


Termino o texto com um trecho da linha do tempo do livro que hoje vem ocupando minha cabeceira lotada de amigos impressos.


"O presente


Os humanos transcendem os limites do planeta Terra. As armas nucleares ameaçam a sobrevivência da humanidade. Cada vez mais, os organismos são moldados por design inteligente e não por seleção natural.


O futuro


O design inteligente se torna o princípio básico da vida? O homem é substituído por super-humanos?"


Sapiens: Uma breve história da humanidade. Yuval Noah Harari