Data is the new black!


Voltamos com alguns insights para o mix de vocês!


Como explicamos no blog das cores - caso você não tenha lido, só clicar AQUI - nossa análise de temporada é pautada na leitura de desfiles + relatórios analíticos de duas fontes de informação primordiais: desfiles e e-commerces.


Dividimos esses relatórios analíticos em dois: inspirações (Desfiles & Showroom) e sell-in (E-Commerces).


Ao olharmos para a temporada de forma analítica conseguimos encontrar padrões invisíveis na analise comum.

A categoria de tênis é um ótimo exemplo: sempre está no pódio em segundo ou terceiro lugar, independente da estação, se consagra como uma categoria estável e em constante ascensão.


Ao analisarmos o shape dos sapatos, os cabedais com cadarço baixo são os mais presentes, impulsionado pelas categorias de tênis e mocassins, ambos nas TOP 5 categorias do Inverno 21 de Showrooms.


Já no "zoom" em bicos, o bico fino volta com força total sendo o que está em maior evidência. Mas será que o bico quadrado continua em alta para o Inverno? Chama a gente AQUI para ter acesso ao relatório completo e mais confiança na hora de definir seu mix.


Quando olhamos para altura e tipos de salto, chega a ser frustrante ver salto alto com 16% de representatividade, sabendo que rasteiros é a categoria mais vendida em nosso país. 


Mas é exatamente por isso que também analisamos E-Commerces e este relatório acima é categorizado como inspiracional.


Ao analisarmos o Share de Modelos (Sell-In das marcas) dos E-Commerces internacionais em Jul'2020 temos relações diferentes da análise de showroom:

    - As TOP 7 categorias são diferentes, em E-Commerces tênis salta de segundo para terceiro lugar

    - Não vemos mocassim no pódio por aqui


Mesmo que o share de modelos seja tão diferente, quando analisamos os shapes, encontramos fortes padrões:

    - Low-top continua como cabedal de maior evidência

    - Bico fino é tendência confirmada


No hemisfério sul, temos o tempo ao nosso favor. Como as análises de showroom e desfiles são feitas 12 meses antes do lançamento no Brasil, conseguimos bater dados e confirmar suspeitas assim que as coleções apresentadas nos desfiles chegam no varejo internacional.


Ficou com canseira minha filha? Cansa não, pega o café que tem mais dado.


Voltando para showtoom, vocês podem ver na foto acima os modelos em maior evidência por categoria:

    - Ankle & Cano Curto representando 18% das botas, fortemente impulsionadas pela tendência das combat boots

    - Slingback detém 34% do share de pumps (mostrando que deixou de ser tendência e entrou na base).


Para mocassim, sem esforço, enxergamos que as franjas e solados caramelos tratorados continuam.


Geometria é a aposta em mules, seja no salto, bico e/ou cabedal. 


E slides trazem fechos + fivelas grandes.


Estamos trabalhando para o inverno, precisamos reforçando ainda mais o ideal de conforto e os pelos trazem não apenas essa sensação como tem fit com as linhas homewear, sendo um dos materiais com maior representatividade no Inverno 21. 


Qual a maior conclusão dessa análise? Modelos de base sempre irão ser a maior parte do mix. 


Mas sabemos que sem as famosas tendências não temos "isca" para consumidores ou lojistas.


Por isso entregamos análises "mastigadas", com o objetivo de que vocês não gastam tanto tempo em pesquisa de moda e foquem no que traz o maior resultado: estratégias de produto e lançamentos.


Nossas analises funcionam como uma mapa de prioridades ajudando a definir o timing certo de cada trend para cada lançamento, drops ou coleções cápsulas da sua marca.


Lembrando que de onde vieram esses números tem muito mais informações!


Se ficou com alguma dúvida nos dados, pode chamar a gente no WhatsApp teremos o maior prazer em te explicar tudinho!