Na semana passada a nossa chefe de conteúdo, Fanny Littmann, fez uma live repleta de tendências para a Brisa/Intexco - maior empresa de laminados sintéticos do país - e acabou chamando a atenção pela precisão ao informar dados relacionados à cores.


Essa precisão se dá porque há cerca de 10 meses, através de tecnologias emergente, começamos a transformar tendências de moda em relatórios analíticos.


Em Setembro de 2019 ao mapearmos os desfiles de Verão 20 vimos que o tie-dye teria grandes chances de se tornar um mainstream pois teve crescimento de 63% (como mostra o dado acima) quando comparado aos desfiles de verão do ano anterior.


Ao gerar esse dado nosso objetivo é que os designers tenham mais tempo para focar em decisões estratégicas de criação.


Imagine que você já fez sua pesquisa de moda e agora precisa escolher as cores para a sua cartela. Normalmente, esses seriam passos:

 1.  Histórico de vendas da minha marca

 2.  Estudamos as imagens da pesquisa que fizemos (o que é mega cansativo)

 3.  Procuramos fontes externas, não tomarmos essa importante decisão "sozinhos":

Pantone, Coloro (WGSN), etc.

 4.  E por último: o famoso feeling


Mesmo seguindo esses passos não temos garantia que as cores que escolhemos serão as cores da temporada, muito menos encontraremos um direcional para priorizar lançamentos. 


Em um mundo muito mais assessível, a necessidade de estar atualizado e manter a competitividade aumentou muito, demandando que o tempo de resposta para os desejos do consumidor seja cada vez menor. 


Preocupados com essa 'pressão', começamos a 'ler' nosso banco de imagens e entregar análises de moda de uma forma diferente:


No exemplo acima vocês podem ver que ao lermos as imagens de desfiles obtivemos os seguintes resultados: 

- PRETO e BRANCO somados, representam quase 50% dos FULL LOOKS 

- TONS TERROSOS cresceu + de 100% quando comparado às 3 últimas temporadas! (para ter acesso ao relatório completo, é só entrar em contato com a gente AQUI).


Essa quantificação também se estende para tons intermediários e fortes.



Dessa forma é possível distribuir o mix de coleção com maior assertividade e consultar  com maior autonomia em nossa cartela de cores com os tons mais frequentes em cada cidade (NY, Londres, Paris e Milão):




Engano de quem pensou que pararíamos por aí! As cores das roupas costumam variar para os sapatos, por isso temos um relatório separado para sapatos. 




Já em sapatos, os tons de vermelho chamaram a atenção nos showrooms e estão em nosso TOP 5!


Como na roupa, para os pés preto é a cor mais presente, porém a segunda cor em maior evidência é diferente da análise de roupas. Vocês já conseguiram adivinhar qual é? Contem pra gente no insta o que vocês acham!


Até agora trabalhamos apenas na 'previsão' do que vai acontecer, como no Brasil lançamos as coleções de 6 à 12 meses após as apresentações internacionais, temos o tempo ao nosso favor, nos permitindo analisar não apenas a passarela, como também o varejo!




Já a análise de E-Commerce Internacional nos trás outros insights interessantes. Ao analisarmos 67 cores e estampas, vemos que apenas 12 delas estão presentes em mais de 90% dos 2.537 modelos analisados.


Legal né?


Agora vocês podem não só se organizar melhor para definir as cores da estação, como também entender um pouco melhor como a Penso analisa cores, estampas, materiais e tendências.


Os insights não acabaram hein! Não deixe de pegar o bloquinho e assistir a live da nossa CCO.



Ficou interessado nos insights que geramos? Chama a gente pra conversar no Whats clicanco AQUI.